Área Restrita

Para aprender melhor é preciso usar todos os sentidos, dizem especialistas

02/07/2015
Notícias
Institucional

O ser humano pode aprender de diversas maneiras. Uns acreditam ser mais visuais, ou seja, eles têm facilidade de estudar lendo e olhando imagens. Outros acham que aprendem melhor ouvindo as explicações e lendo em voz alta, os chamados auditivos. Há ainda os que se consideram cinestésicos, aqueles que aprendem por meio da percepção dos movimentos do corpo misturado aos sentidos, como tato, olfato e paladar.

 

Apesar dessas classificações circularem entre os especialistas na área da aprendizagem, há quem acredite que essas habilidades serão melhores aproveitadas se forem utilizadas em conjunto. Ou seja, quanto mais sentidos forem explorados, melhor será o processo de aprendizado.

 

"O sujeito vai aprender melhor e as informações vão fazer mais sentido [para ele] na medida em que seja possível disponibilizar situações que sejam multissensoriais. Ver, tatear, ouvir, sentir cheiro, o máximo possível", explica Eder Pires de Camargo, doutor em educação e professor do departamento de física e química da Unesp (Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho) de Ilha Solteira (680 km de São Paulo).

 

Camargo, que também é especialista no ensino de ciências para alunos com deficiência visual, acredita que as pessoas não nascem mais visuais, mais auditivas ou mais cinestésicas. "O processo de aprendizagem não ocorre pela simples observação do ambiente. Ele acontece por meio dos cinco sentidos. Limitar a aprendizagem em um único estilo é limitar demais o processo."

 

"O que acontece é que determinada habilidade pode se sobressair em alguns momentos, mas isso não define a característica de cada um", acrescenta Heloisa Matos Lins, professora doutora do departamento de psicologia educacional da Faculdade de Educação da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas).

 

Segundo ela, estudos e pesquisas dentro do campo da aprendizagem têm mostrado que a forma de se aprender é bastante variável e que ela é desenvolvida de acordo com o contexto de vida e a cultura de cada indivíduo.

 

"Não somos aprendizes sempre da mesma maneira. Temos vários canais de aprendizagem. Somos muito visuais e auditivos [ao mesmo tempo]. É quase que uma hibridização entre os dois sentidos", afirma Lins.

 

Para os profissionais, uma aula será muito mais eficiente se expor os alunos a estímulos sensoriais diversos, como tatear o objeto de estudo, ouvir o som que ele pode produzir. Ou então sentir o cheiro, a textura e até mesmo o gosto de algumas plantas durante as aulas de ciências. Essas são algumas dicas práticas que o professor pode utilizar em sala de aula.

 

"O professor fica para os alunos 'imaginem uma pedra que cai', mas se ele realizasse a experiência, seria muito legal. Combinar as percepções estrategicamente é muito interessante para proporcionar significado para os alunos", ressalta o docente.

 

"Por que as escolas não podem fazer uma maquete para explicar como funciona um gráfico X, Y ao invés de fazer só no papel branco ou só na lousa, por exemplo? Será mais significativo para o aprendizado do aluno se além de fazer o gráfico com cores, nós construirmos algo que ele possa ver e tatear", exemplifica. 

 

Fonte: UOL Educação

 

 

Downloads

fameta01
Baixar
fsp01
Baixar
fapan01
Baixar
athenas01
Baixar

Veja Também

01/12/2011
Institucional

cultura-cacerense-e-destaque-em-conferencia-municipal

Em mais uma ação para ampliar a transparência da sua gestão, o prefeito de Cáceres, Túlio Fontes, convocou a 1ª Conferência Municipal sobre Transparência e Controle Social – Consocial. O evento começou na ultima terça-feira (29-11) e termina hoje (30/11), na Faculdade do Pantanal. A abertura será no dia 29, a partir das 19h30.   A realização do evento está a cargo das secretarias de Governo, Ação Social, PreviCáceres e Controladoria Geral.   Na abertura a população pode transitar pela rica cultura popular de Cáceres com apresentações de dança e apreciação de artesanato local. Durante o hino nacional emoção e orgulho matogrossense, na execução feita em...

02/05/2013
Institucional

reuniao-entre-cff-e-daf-fortalece-acoes-em-favor-da-farmacia

Órgãos pretendem melhorar qualidade dos serviços públicos de saúde Com o objetivo de alinhar as ações em favor da farmácia e dos farmacêuticos, Diretores do Conselho Federal de Farmácia (CFF) e conselheiros federais fizeram, no dia 18 de abril, uma visita ao Departamento de Assistência Farmacêutica (DAF), do Ministério da Saúde. Walter Jorge João, Valmir de Santi, João Samuel de Morais Meira, José Vilmore e os Conselheiros, Lúcia Sales (CE) e Paulo Boff (SC) foram recebidos por José Miguel do Nascimento Júnior, Diretor do DAF; Luis Henrique Costa, Coordenador Geral de Assistência Farmacêutica e Medicamentos Estratégicos e por Marco Aurélio Pereira, Coordenador do Programa...

13/11/2017
Institucional

Funcionários da Fapan participam do treinamento SIPAT

No último sábado (11), funcionários da Faculdade do Pantanal (Fapan) passaram pelo treinamento SIPAT, onde realizaram atividades direcionadas a prevenção de acidentes e doenças ocupacionais. Na ocasião, os alunos de Farmácia e Biomedicina puderam apresentar banners voltados para a temática do treinamento e os acadêmicos de Educação Física deram aula de ginástica laboral.   Durante o treinamento, os funcionários também aprenderam a utilizar os equipamentos de proteção individual, ministrada pelo Prof. Elias Quintão, e a manusear extintores, com o Prof....

29/05/2013
Institucional

alunos-de-psicologia-da-fapan-desenvolvem-trabalho-com-idosos

Encontros acontecem todos os sábados na escola Ana Maria das Graças Noronha     Acadêmicos do 4º Semestre de Psicologia da Faculdade do Pantanal (FAPAN), através de orientação da Profª Célia Ferreira Fortes, estão desenvolvendo já há algumas semanas um trabalho de aconselhamento junto aos Idosos da Associação Remanso Fraterno João Gabriel. A atividade tem como objetivo ambientar os alunos de Psicologia da Instituição com a realidade da carreira, sendo a experiência com os idosos uma importante oportunidade de observar a atuação dos futuros psicólogos no dia a dia prático. A professora que está coordenando a atividade, Célia Ferreira Fortes, conta que...

Comentários

CAPTCHA Image
Recarregar Imagem